Colégio MASA une prática sociointeracionista e valoriza o meio ambiente

masa_fotoUma nova escola na região virou uma excelente referência para quem quer um modelo de ensino moderno e atualizado. Localizado em Itanhaém, o Colégio MASA, adota uma prática chamada sociointeracionista, que trabalha a vivência com os alunos e que tem o professor como mediador e não como detentor do conhecimento. “A criança também tem conhecimento.”, explica Diane Cristina Amendola, que fundou a escola com seu irmão Denis Romeu Amendola.

Formada em Letras, Direito e cursando Pedagogia, ela morou oito meses em Londres e trouxe este conceito bem sucedido da Inglaterra, quando teve contato com um estilo de escola diferente do que conhecia no Brasil. “A criança tem de ser preparada para ser protagonista da própria história, por isso a ideia é que a escola seja menos paternalista do que o modelo que conhecemos tradicionalmente”, afirma Diane, que adota livros da Editora Oxford University em seu colégio.

Além disso, o local também tem como característica, muito verde e contato com a natureza. “A escola abraça a criança com muito espaço para ela respirar. Fizemos questão de colocar na entrada um pergolado de vidro para que quando elas entrem na escola, possam ver o céu.” Isso porque o colégio também adotou o modelo de sustentabilidade, trabalhando inclusive com material em tecido e reutilizado.

Ainda dentro deste cuidado com a natureza, Diane se preocupou em ter salas de aula com muita claridade e com janelas amplas para que se possa ver o verde. “De dentro elas conseguem ver as bananeiras e até mesmo ter uma visão do horizonte. Além disso, na parte externa elas têm contato com os pássaros, com pomar, horta, campo de areia, coelhos, jabutis e até um galinheiro para trabalhar a proximidade com os animais. Até mesmo o playground está em local aberto para contato com a natureza”.

Ela também defende que a escola não pode ser traumática na vida da criança. “A escola precisa interagir com o aluno.” Um dos exemplos está relacionado à questão alimentícia. “A criança tem que ter o espaço da comida, o momento para ela saborear o alimento, degustar o que está comendo. Por isso a ideia é fazer aulas de culinária dentro da nossa própria cozinha.”

Dentro da sala de aula, as crianças contam com uma lousa disponível para rabiscar feita na altura delas. Já as cadeiras e carteiras são coletivas, para facilitar o trabalho em grupo e em equipe. E ao mesmo tempo, o local conta com tecnologia. Todas as salas possuem uma TV e notebooks conectados à internet.

Outro detalhe está relacionado com a higiene. Todas as salas tem pia para que a criança adquira o hábito de sempre lavar as mãos. “É dentro da sala de aula, ela não precisa sair toda hora.” Já quanto aos banheiros, todos são adaptados ao tamanho das crianças, de três a seis anos.

Atividade e estruturação

Em fevereiro o Colégio iniciou com Jardim I, II e III e o 1º ano com 21 alunos – das 13h às 18h15. A escola tem capacidade para atender até 80 alunos e pretende abrir em tempo integral. Conta ainda com uma grade que possui inglês para todas as séries de segunda a quinta, além de Educação Física, Artes, Filosofia e Música.

O terreno – da família há mais de 40 anos – tem 2.000m², sendo 800m² de área construída. “O projeto foi desenvolvido por engenheiro, mas o meu pai Francisco Paulo Amendola (Paulinho), fez várias modificações no sentido de que o local interagisse mais com a nossa filosofia. Ele até cogitou em vender a área, que era uma espécie de chácara da família, foi quando surgiu a ideia da escola, que passou dois anos em obras.”

Segundo Diane a inspiração do projeto e do colégio foi com base na sua avó paterna, Maria Aparecida Soares Amendola, cujas iniciais MASA deram o nome da escola. “Sou apaixonada pela minha avó, para mim estará sempre presente. Uma educadora nata que sempre falava com a gente olho no olho.”

E a empresária já é conhecida pela sua excelência na área de educação. Proprietária de uma escola de inglês em Peruíbe e outra em Itanhaém, ela fez questão escolher “a dedo” os profissionais do colégio.

“A escolha foi criteriosa. Recebemos mais de 200 currículos de todas as cidades da região. Separamos 40, realizamos uma dinâmica de grupo, uma redação e uma aula teste. Então escolhemos quatro professoras e uma professora auxiliar. Três são de Peruíbe e duas de Itanhaém. E todas receberam treinamento por 15 dias.”

Para conhecer ainda mais o Colégio MASA, ele está localizado na Rua Nestor Leal, 269 – Umuarama – Itanhaém. Telefone: 13 3422-2666.

Matérias relacionadas