Últimas notícias

Morre dono do jornal De Mão em Mão, de Peruíbe

Foto: (Reprodução/Facebook/Maria Eduarda)
Foto: (Reprodução/Facebook/Maria Eduarda)

Faleceu na madrugada desta quarta-feira (20), o proprietário do jornal peruibense De Mão em Mão, Adelino Soromenho. De acordo com amigos próximos, eles estava internado há mais de 20 dias no Hospital Irmã Dulce, em Praia Grande, por conta de um aneurisma.

Segundo a filha Maria Eduarda, o velório deve acontecer a partir das 8h desta quinta-feira (21) e o sepultamento por volta das 14h. Porém, ainda haverá confirmação oficial.

Assim que as informações forem divulgadas, atualizaremos nesta mesma página.

Colegas de profissão prestam homenagens

Para o dono do Jornal do Esporte, de Peruíbe, Washintgton Luiz Reis, Soromenho travou muitas batalhas.

“Estou triste, pois o admirava muito. Quando o encontrava falávamos sempre sobre a cidade, o esporte que ele tanto gostava, sobremaneira, o atletismo que ele praticou em sua vida escolar. Proprietário do jornal De Mão em Mão, ajudava e muito a difícil comunicação interna de Peruíbe. Publicou muitas matérias esportivas nas páginas que escreveu. Trabalhou na confecção de diversas outras publicações ao lado da também incansável dona Regina. Fica os meus sentimentos profundos à família.”

Já para o apresentador do programa Na Mira, Cristen Charles, o proprietário do De Mão em Mão foi militante da imprensa local.

“Tive o prazer de conviver com ele na luta pela viabilização da associação de imprensa local e também na frustração, quando a associação foi inviabilizada. Era doce, idealista e amava a mídia local. Lutou muito e chegou a fazer greve de fome devido a uma suposta dívida não paga por parte da Prefeitura (mais uma). Triste imaginar a cidade sem o Adelino e seu jornal, distribuído literalmente de mão em mão. Dia triste para a imprensa local, força a família. Ele deixou uma marca dele, e isso não será apagado…”

Hoje no G1 – O Portal de Notícias da Globo, o jornalista Orion Pires conta que Soromenho foi uma das primeiras pessoas em Peruíbe a lhe dar a oportunidade de escrever em jornal, mesmo antes de ingressar na faculdade de jornalismo.

“Durante alguns meses diagramei uma página de esportes com destaques da cidade e ‘comentei’ sobre o campeonato amador de futebol local. Tivemos muitas conversas em outras oportunidades e, como amantes da profissão, por diversas vezes discordamos no modo de pensar. Mas é inegável que o ‘portuga’ foi um grande cara, apesar da baixa estatura. Sempre disposto a ajudar e entregar ‘de mão em mão’ o seu tabloide feito com muito carinho. Deus conforte os corações de Maria Eduarda, Regina Mendonça e familiares.”

Como Pires, outros dois jornalistas que saíram de Peruíbe como Erick Martins, que hoje é analista de comunicação na Apve Embraer, e Bianca Marchetti, que atualmente é analista de relações com a imprensa na Universidade Anhembi Morumbi, também começaram a carreira no De Mão em Mão. “Ainda no segundo ano de faculdade tive a oportunidade de trabalhar com ele na produção do Jornal da AEP (Associação dos Estudantes de Peruíbe)”, conta Martins.

Matérias relacionadas