Plano Metropolitano é discutido na Assembleia Legislativa

Audiência debateu inclusão de todas as estruturas necessárias para o desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista

reuniao_assembleia_plano_metropolitano_principalRepresentantes do Litoral Sul estiveram em audiência com o deputado estadual e Presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Samuel Moreira, para discutir as prioridades e incluir todas as estruturas necessárias para o desenvolvimento homogêneo da Região Metropolitana da Baixada Santista (de Bertioga a Peruíbe).

Confira as fotos

O encontro aconteceu na Assembleia Legislativa, em São Paulo, sendo debatido o Plano Metropolitano de Desenvolvimento Estratégico da Baixada Santista (PMDE-BS) que vai orientar o crescimento ordenado da região e reforçar o eixo de desenvolvimento econômico. Pensando nesse crescimento de médio e longo prazo, há ideia de incluir futuramente o Vale do Ribeira como extensão nesse desenvolvimento.

O PMDE-BS foi idealizado pela Agência Metropolitana (Agem), com o apoio do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Condesb), onde o atual prefeito de Itanhaém, Marco Aurélio, é presidente.

Esteve presente o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico de Itanhaém, Eliseu Braga Chagas, junto com representantes da Associação Comercial de Itanhaém (ACAI), da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Peruíbe, da ACEP (Associação Comercial e Empresarial de Peruíbe) e do presidente da ACIP (Associação dos Corretores de Imóveis de Peruíbe), Walcir Pereira Matias.

O secretário de Desenvolvimento Econômico de Itanhaém, Eliseu Braga Chagas, disse que essa reunião serviu para complementar os resultados do Plano Metropolitano. “Com as ideias e prioridades definidas, isso trará bons resultados a Itanhaém, principalmente porque o Litoral Sul tem muita identidade com o Vale do Ribeira”.

O presidente da Associação Comercial de Itanhaém (ACAI), Marcelo Zanirato, na ocasião também falou sobre a união das entidades do Litoral Sul que darão mais força ao Plano Metropolitano. “Esse trabalho realizado em conjunto trará resultados positivos, alinhando com o desenvolvimento da Cidade”.

IMPORTAÇÃO BANANA – Outro aspecto abordado na reunião foi a preocupação com o fortalecimento da bananicultura da região, que pode sofrer concorrência da importação do produto do Equador para o Brasil. Os representantes levaram o documento a conhecimento do deputado, com o objetivo de evitar prejuízos aos produtores regionais e a degradação da economia local.

Matérias relacionadas