SAMU recebe mais 12 mil trotes por ano, segundo pesquisa feita no litoral sul

Foto: Divulgação

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, o SAMU, registrou mais de 12 mil trotes, segundo a sua Central de Regulação Regional Litoral Sul. O estudo foi realizado entre um de julho de 2016 até 31 de julho de 2017. A Regional atende as ligações de Pedro de Toledo, Peruíbe, Itanhaém, Mongaguá e Praia Grande.

A pesquisa feita pela Central de Regulação do SAMU, mostra outros dados, que também são bem alarmantes.

Durante o período estudado, foram registradas 155.857 mil ligações. Desse número, 36.281 (23,28%) era engano; 48.610 (31,19%) estavam pedindo informação; 58.841 (37,5%) regulação médica; 86 (0,05%) falava sobre transferência inter hospitalar; 256 (0,16%) eram sobre transferência de internação e 12.173 (7,81%) trotes.

Ainda segundo a pesquisa, a Regional Litoral Sul tem uma média de 936 trotes por mês e 31 por dia.

EXISTE TREINAMENTO, MAS…

Em entrevista publicada no site da Prefeitura de Itanhaém, o médico e coordenador da Central de Regulação do SAMU Regional Litoral Sul, Jonatas Freitas Pimentel falou que os socorristas são treinados constantemente, passam por reciclagens e são muito bem orientados para reconhecer quando o chamado é uma distração.

“As equipes que exercem essas atividades são extremamente qualificadas. Geralmente, esses trotes, que são caracterizados como nível de urgência com risco iminente de morte, atrapalham muito o andamento dos serviços. Basicamente alguém pode precisar e uma pessoa pode morrer. Sem falar que trote é crime”.

Toda a ocorrência registrada no SAMU, é automaticamente classificada de acordo com a gravidade do chamado. As classificações são: laranja (muito urgente), amarelo (urgente), vermelho (emergência), verde (urgência de prioridade baixa) e azul (urgência de prioridade mínima).

Matérias relacionadas