Últimas notícias

Cesinha é pré-candidato a prefeito de Itanhaém

Cesinha trabalhou na assessoria do deputado Caio França, de quem tem apoio para a pré-candidatura (Foto: Ney Rodrigues)
Cesinha trabalhou na assessoria do deputado Caio França, de quem tem apoio para a pré-candidatura (Foto: Ney Rodrigues)

Após anunciar em suas redes sociais a notícia de que pretende concorrer  a prefeito de Itanhaém no próximo ano, o ex-vereador Cesinha (PSB) recebeu aprovação de diversos moradores. Além disso, ele conta com o incentivo de importantes lideranças como o deputado estadual Caio França, um dos mais votados da região. Veja entrevista.

Com exceção do senhor, todos os pré-candidatos até o momento são da base de apoio ao prefeito. O que isso significa na sua opinião?
Apesar de todas as candidaturas serem legítimas, o meu nome é o único que representa a mudança.

Como vereador entre 2013 e 2016, seu mandato ficou marcado como combativo. O que resume suas posições na época?
Tive uma atuação independente como vereador com total liberdade pra defender os direitos das pessoas e fiscalizar o dinheiro público. Aprovei projetos necessários em favor da cidade, porém combati as irregularidades na administração que precisavam ser fiscalizadas.

O mesmo grupo político completará 16 anos no poder e pretende continuar. O que isso poderá causar?
São as mesmas pessoas tomando decisões durante anos, muitas vezes sem ouvir a população. A mudança é necessária, pois o comodismo gerado fez com que decisões tomadas às portas fechadas tenham causado erros graves, isso é ruim pra cidade, a população precisa ser ouvida.

O senhor poderia citar exemplos?
Claro. Todas as intervenções urbanísticas nos últimos anos foram feitas com derrubada de árvores, como a reforma da praça Benedito Calixto. Além disso, vias importantes com maior necessidade de investimento estão abandonadas há 16 anos, como as avenidas Gentil Peres, José Batista Campos e Coronel Joaquim Branco. Se a população estivesse sendo ouvida, a história seria diferente.

O seu partido (PSB) mostrou força política na cidade neste período. O que acha que levou a esse crescimento?
O desejo de mudança. O PSB foi protagonista na história política da cidade tendo candidaturas a prefeito nas três últimas eleições municipais, sendo que na eleição de 2012 o partido chegou muito perto de vencer a eleição do atual prefeito. Houve uma diferença muito pequena, de apenas 900 votos.

E qual o balanço em 2018?
O deputado estadual Caio França (PSB) foi reeleito com mais de 160 mil votos e tivemos ainda a deputada federal mais votada na cidade, Rosana Valle (PSB). Agora, um ingrediente que certamente apimentará a disputa de 2020 é o resultado da eleição de 2018 para o Governo de SP. Vencemos o grupo do prefeito que apoiou João Doria, Márcio França foi o mais votado na cidade, o eleitor de Itanhaém demonstrou nas urnas o desejo de mudança.

Como começou sua história na cidade?
Minha família se estabeleceu aqui na década de 1940, sou de uma família tradicional de origem simples. Sou filho e neto de servidores públicos, meu avô Joaquim atuou na implantação da Receita Federal na cidade e minha avó dona Albertina era cabeleireira e construiu a primeira casa do Jardim Mosteiro. Minha mãe Marli trabalhou na CESP e meu pai, Fausto, é procurador do Município, foi o primeiro presidente da OAB na cidade e presidiu a Liga Itanhaense de Futebol Amador entre os anos de 2000 a 2004.

E o senhor? É casado, tem filhos?
Sim, sou casado há 14 anos com a Karin, que é professora e juntos temos dois filhos, o Tiago de 11 anos e o Mateus de 4 anos.

Nos últimos anos qual foi sua trajetória profissional e política?
Sou advogado pós-graduando em Direito Público com ênfase em gestão pública.Fui comerciante, vereador entre 2013 a 2016 e assessorei o deputado Caio França na Assembleia Legislativa. No Governo de SP, a convite do Márcio França, representei a Secretaria de Habitação e gerenciei a CDHU na região.

Nesta última experiência na CDHU, quais as principais marcas?
Resgatamos um projeto para construção de mais de 500 casas da CDHU na cidade, em um novo formato, casas sobrepostas. Agora, para ser executado, o projeto depende da doação de uma área do município para o Governo de SP e isso pretendo fazer logo no início do mandato, caso seja eleito. Além disso, faremos uma grande ação de regularização fundiária, entregando matrículas dos imóveis para famílias que já vivem em áreas consolidadas. Isso além de aquecer o mercado imobiliário poderá dar segurança jurídica ao bem mais precioso das famílias que é a casa própria.

O que o levou a ser pré-candidato a prefeito?
Tenho coragem para fazer as mudanças que a cidade precisa. Estou preparado pra fazer uma gestão técnica com forte apoio político e trazer investimentos dos governos estadual e federal.

E se eleito, quais serão seus principais diferenciais?
Tenho no meu coração um sentimento muito forte em olhar para as crianças, direcionar os investimentos no atendimento especializado de saúde infantil, massificar o esporte nas escolas e qualificar essa geração para que tenham oportunidades e se tornem cidadão do bem e grandes profissionais.

A cidade possui um aeroporto e uma característica muito forte que é o turismo. O que falta para alavancar o setor e gerar empregos?
Gestão. É preciso ter força política e buscar investimentos do setor privado para que possamos trazer voos comerciais pra cidade. Espero que a população me dê uma oportunidade para que eu possa conduzir esse processo, estou preparado para esse desafio.

Quais seriam as principais mudanças legislativas na sua opinião?
A modernização da lei de edificações para gerar empregos diretos e indiretos. É necessário ouvir investidores, a população e buscar um equilíbrio para que a cidade se desenvolva e ao mesmo tempo mantenha sua qualidade de vida. Hoje, estamos perdendo investidores por conta de uma legislação atrasada.

Enquanto vereador, o senhor participou da elaboração do novo Plano Diretor, o que foi discutido sobre a Zona Especial de Negócios?
O novo Plano Diretor estabeleceu áreas a receberem incentivos para atrair empresas, porém não há estrutura alguma. A falta de estrutura fez com que a cidade perdesse credibilidade junto aos investidores. Estou preparado para resgatar a confiança dos investidores através de grandes obras nestas áreas, modernizar a legislação municipal e através da geração de emprego e renda, proporcionar dignidade às famílias itanhaenses.

Matérias relacionadas